Protocolo para observação e identificação de espécies autóctones

  • Num raio de algumas dezenas de metros, realizar registos rápidos (1 foto) de espécies representativas do habitat e facilmente identificáveis visualmente.
  • Realizar um registo detalhado da espécie que se pretende identificar, preferencialmente com fotografias da flor vista de cima, flor/inflorescência vista de baixo, cacho de inflorescências (quando aplicável), superfície superior da folha, superfície inferior da folha, pecíolo, planta completa, mancha com várias plantas.
  • Se possível fotografar os detalhes contra uma folha de papel quadriculado (5mm).
  • Se necessário, fotografar alguns detalhes com uma aplicação dedicada (com possibilidade de bloqueio do foco) e importar para o registo da observação.

Acedendo ao iNat no computador, recolher as listas de (8?) espécies visualmente semelhantes a cada uma das fotos.

  • Para cada uma das espécies referidas e para cada uma das fotos, atribuir uma pontuação igual à sua posição na lista ou igual a uma vez e meia o comprimento da lista se estiver ausente dessa lista em particular.
  • Ordenar as espécies visualmente semelhantes por ordem crescente das somas das suas pontuações.
  • Confirmar se todas essas espécies ocorrem em território português: primeiro no iNat, depois na Checklist e depois em Flora-on.pt (atenção à eventual utilização de sinónimos).
  • Compilar uma primeira lista de espécies prováveis, mediante supressão das espécies que não ocorrem em território português.
  • Analisar a taxonomia dessas espécies e identificar as famílias ou géneros a que pertencem.

No computador, consultar http://flora-on.pt .

  • Procurar espécies em floração no mesmo mês, dentro da mesma família ou género.
  • Refinar a lista de espécies prováveis, acrescentando ou excluindo espécies.

No iNat (editar observações -> pesquisar), listar outras espécies observadas no mesmo local. Analisar a lista de espécies relacionadas com cada uma dessas espécies.

  • Para cada espécie provável, procurar essa espécie nas listas de espécies relacionadas com as outras espécies observadas no local: se surgir, atribuir uma pontuação igual ao quociente da posição em que aparece pela extensão da lista; se não surgir, atribuir uma pontuação fixa superior a 1, por exemplo 1,5.
  • Somar as pontuações para cada uma das espécies prováveis (confirmar que está a ser considerado sempre o mesmo número de parcelas) e ordenar as espécies por ordem crescente das pontuações obtidas.

Analisar em detalhe cada uma das espécies mais prováveis.

Decidir qual a espécie mais provável. Nas anotações da observação incluir uma lista de espécies relacionadas aparentemente presentes no mesmo local, numeradas pela ordem em que aparecem na lista de espécies relacionadas em flora-on.pt : isso poderá ajudar a confirmar a ID caso venham a ser feitos registos dessas espécies nas proximidades.

Caso a observação seja identificada por mais do que um utilizador mas a ID da comunidade não alcance nível de espécie ou superior: uma vez decorridos pelo menos 6 meses após o registo, indicar que "a ID da comunidade é a melhor possível", para que a observação obtenha Grau de Pesquisa se tiver uma identificação suficientemente precisa.

Lähettänyt mferreira mferreira, 18. helmikuuta 2021 12:44

Havainnot

Kuvat / Äänet

Havainnoija

mferreira

Päivämäärä

Helmikuu 16, 2021 10:01 AM WET

Kuvaus

https://flora-on.pt/#/1fumaria*fumaria*1%2bfevereiro+a+28%2bfevereiro
Mais prováveis:
Fumaria agraria
Fumaria bastardii
Fumaria muralis
Fumaria capreolata (efetivamente vi em flor noutro local; a cor não confere)
Fumaria sepium (menos provável)
Fumaria reuteri/ officinalis/ parviflora (ainda menos provável)
https://flora-on.pt/#/1Fumaria+agraria
Pétala superior da mesma cor: não confere (mas algumas fotos em https://jb.utad.pt/especie/Fumaria_agraria também não respeitam esta caraterística).
https://flora-on.pt/#1distribuicao~Fumaria%20bastardii
As espécies presentes no local de observação não surgem no topo da lista de espécies relacionadas.
https://flora-on.pt/#1distribuicao~Fumaria%20muralis
A lista de espécies relacionadas também tem pouca semelhança com a lista de espécies presentes no local de observação.
https://jb.utad.pt/especie/Fumaria_muralis
A flores parecem ser tendencialmente mais escuras.
https://flora-on.pt/#/1Fumaria+sepium
A forma e cor da flor confere.
A lista de espécies relacionadas é curta e pouco esclarecedora.
https://jb.utad.pt/especie/Fumaria_sepium
Não há fotos nem informação sobre a distribuição.

Kuvat / Äänet

Mitä

Satokaali (Brassica rapa)

Havainnoija

mferreira

Päivämäärä

Helmikuu 18, 2021 03:21 PM WET

Kuvaus

Terreno inculto: terá sido cultivado outrora, mas esta planta não terá resultado diretamente de uma sementeira.
Observadas nas imediações: Raphanus raphanistrum, Calendula arvensis.

iNat, visualmente similar, Brassicaceae, com flores semelhantes: Brassica rapa, Brassica napus, Diplotaxis tenuifolia, Barbarea vulgaris
iNat, observações GP, Brassica, Portugal, com flores semelhantes: Brassica rapa.
https://flora-on.pt/#/1brassicaceae*1%252bfevereiro+a+28%252bfevereiro/17
Brassicaceae a florir em fevereiro, com flores amarelas vagamente semelhantes às desta planta:
Diplotaxis catholica, Brassica barrelieri, Diplotaxis virgata, Rorippa sylvestris, Rapistrum rugosum, Sisymbrium orientale
https://flora-on.pt/#/1barbarea+vulgaris
Folhas muito diferentes.
https://flora-on.pt/#/1diplotaxis+catholica
https://flora-on.pt/#/1brassica+barrelieri
https://flora-on.pt/#/1diplotaxis+virgata
https://flora-on.pt/#/1rorippa+sylvestris
https://flora-on.pt/#/1rapistrum+rugosum
Idem.

Possibilidades ainda não excluídas: Brassica rapa, Brassica napus, Diplotaxis tenuifolia, Sisymbrium orientale.

https://en.wikipedia.org/wiki/Brassica_rapa
Pode ser Brassica rapa ssp. oleifera
https://jb.utad.pt/especie/Brassica_napus
https://www.google.com/search?q=Brassica+napus
Pode ser Brassica napus, embora as folhas pareçam diferentes. Além disso, em jb.utad.pt não é referida a ocorrência desta espécie na região Noroeste ocidental.
https://jb.utad.pt/especie/Diplotaxis_tenuifolia
https://jb.utad.pt/especie/Sisymbrium_orientale_subesp_orientale
Folha muito diferente.

Possibilidades ainda não excluídas: Brassica rapa, Brassica napus.
Em Portugal existem mais observações de B. rapa do que B. napus. Também existe maior tradição de cultivo da primeira espécie do que da segunda. Além disso, as flores de B. rapa parecem ter uma cor mais intensa, semelhante à cor das flores da planta que foi observada.

Kuvat / Äänet

Mitä

Rohtopernaruoho (Sisymbrium officinale)

Havainnoija

mferreira

Päivämäärä

Helmikuu 18, 2021 03:22 PM WET

Kuvaus

Algumas espécies observadas nas imediações: Raphanus raphanistrum, Calendula arvensis, Rubus sp.

Lista de géneros possíveis: Brassica, Hirschfeldia, Sinapis, Diplotaxis, Rapistrum, Rorippa, Sisymbrium

  • Busca de espécies possíveis:
    https://flora-on.pt/#/1brassica*brassica*1%2bfevereiro+a+28%2bfevereiro
    https://flora-on.pt/#/1diplotaxis*diplotaxis*1%2bfevereiro+a+28%2bfevereiro
    Brassica barrelieri
    Hirschfeldia incana (única no seu género)
    Sinapis alba (única no seu género a florir em fevereiro)
    Diplotaxis catholica
    Diplotaxis virgata
    Rapistrum rugosum (única no seu género)
    Rorippa sylvestris (única no seu género a florir em fevereiro)
    Sisymbrium officinale (única no seu género a florir em fevereiro)

  • Posição de cada uma destas espécies nas listas de espécies relacionadas com (Raphanus raphanistrum, Galium aparine)
    Sisymbrium officinale (234, 81)
    Brassica barrelieri (244, 192)
    Hirschfeldia incana (ausente, 363)
    Restantes espécies ausentes de ambas as listas.

Kuvat / Äänet

Havainnoija

mferreira

Päivämäärä

Helmikuu 19, 2021 09:51 AM WET

Kuvaus

iNat, identificação de espécies visualmente semelhantes a partir das três fotos consideradas separadamente:
Primula vulgaris 8, Elephantopus tomentosus 16, Primula elatior 17, Brachyglottis lagopus 22, Verbascum nigrum 26, Borago officinalis 27, Elephantopus carolinianus 27, Elephantopus mollis 29, Brachyglottis bellidioides 30, Elephantopus elatus 31, Pentaglottis sempervirens 31, Primula veris 31, Digitalis purpurea 32, Plantago media 32, Symphytum tuberosum 32
(À frente de cada espécie é indicada a soma das suas posições nas listas de 8 espécies visualmente semelhantes; quando ausente considerou-se posição 12, igual a uma vez e meia a extensão da lista.)

Checklist de 2011, espécies cuja ocorrência em Portugal é reconhecida (de entre as anteriores):
Primula acaulis (aparentemente sinónimo de Primula vulgaris acaulis)
Borago officinalis
Pentaglottis sempervirens
Digitalis purpurea
(Confirmou-se a ausência de registos das outras espécies no iNat em território português.)

A identificação como Primula vulgaris acaulis parece bastante segura, mas vamos verificar se é plausível naquele habitat.

Algumas espécies observadas no mesmo bosque, mais ou menos por ordem decrescente de abundância/proximidade/certeza: Calluna vulgaris, Cistus psilosepalus, Eucalyptus globulus, Quercus suber, Arbutus unedo, Pinus pinaster, Glandora prostrata (Lithodora prostrata), Daphne gnidium, Jacobaea vulgaris (Senecio jacobaea), Ulex minor, Erica ciliaris, Lonicera periclymenum, Romulea bulbocodium.

Analisemos a posição de cada uma das 4 espécies prováveis na lista de espécies relacionadas com estas espécies presentes no local (quando a espécie estiver ausente da lista considerar-se-á uma posição igual a 1,5 vezes o número de espécies da lista, com arredondamento por excesso). Cada posição será dividida pelo número de espécies na lista. Esses 13 quocientes serão posteriormente somados para cada uma das 4 espécies prováveis: quanto menor for essa soma maior será a probabilidade de encontrar essa espécie associada às 13 espécies já identificadas no local.

Primula acaulis: soma 10,00
Borago officinalis: soma 13,45
Pentaglottis sempervirens: soma 9,62
Digitalis purpurea: soma 2,29

De acordo com este critério, a espécie mais provável é Digitalis purpurea, seguida de Pentaglottis sempervirens, Primula acaulis e por fim Borago officinalis.

https://flora-on.pt/#/1digitalis+purpurea
https://jb.utad.pt/especie/Digitalis_purpurea_subesp_purpurea
As folhas não são semelhantes: são glabras (ou quase) na face superior. Também não apresentam um relevo tão acentuado.
https://flora-on.pt/#/1pentaglottis+sempervirens
https://jb.utad.pt/especie/Pentaglottis_sempervirens
As folhas não apresentam um relevo tão acentuado; por outro lado, têm um pecíolo(?) mais longo e são mais pontiagudas.
https://flora-on.pt/#/1primula+acaulis
As folhas parecem idênticas.
https://flora-on.pt/#/1borago+officinalis
As folhas são mais pontiagudas e têm um pecíolo(?) muito mais longo.

Identificação deste espécime: Primula vulgaris acaulis.

Kuvat / Äänet

Mitä

Isoemäkki (Fumaria muralis)

Havainnoija

mferreira

Päivämäärä

Helmikuu 19, 2021 10:57 AM WET

Kuvaus

https://flora-on.pt/#/1fumaria*fumaria*1%2bfevereiro+a+28%2bfevereiro
Espécies de Fumaria com floração em fevereiro e que não podem ser excluídas devido à cor das flores: Fumaria sepium, Fumaria reuteri, Fumaria bastardii, Fumaria muralis, Fumaria agraria (embora as flores desta última costumem ser globalmente tingidas de rosa, enquanto as flores da planta observada são maioritariamente brancas)

https://www.biodiversity4all.org/observations/69808344
Espécies representativas numa "quadrícula" com 0,001º de latitude/longitude: Arum italicum, Calendula arvensis, Galium aparine, Raphanus raphanistrum, Veronica persica.

Analisemos a posição de cada uma das 5 espécies possíveis de Fumaria na lista de espécies relacionadas com cada uma das 5 espécies representativas acima referidas. Quando uma determinada espécie de Fumaria não estiver presente na lista de espécies relacionadas, ser-lhe-á atribuída uma posição igual a 1,5 vezes a extensão dessa lista.

A.ita.: nenhuma ocorrência de Fumaria
C.arv.: idem
G.apa.: idem
R.rap.: idem
V.per.: Fumaria bastardii (sem número por não ter imagens); no entanto, reciprocamente, Veronica persica não aparece na lista de espécies relacionadas com F. bastardii.

Com tão pouca informação, este critério não nos permite determinar a espécie mais provável.

https://jb.utad.pt/chavedicotomica
A chave dicotómica da UTAD para a família Papaveraceae seria uma boa ajuda...

  • ...se os termos técnicos fossem acompanhados de notas explicativas em linguagem corrente, algo que infelizmente não acontece: os termos técnicos são "explicados" recorrendo a mais termos técnicos, sem qualquer vontade de chegar ao cidadão comum mais interessado em conhecer a biodiversidade que o rodeia do que em tornar-se um especialista em Botânica;
  • se fosse possível reverter alguns passos, dar uma resposta diferente e retomar a aplicação da chave.
    Ainda assim, a chave inversa
    https://jb.utad.pt/chavedicotomica/inversa
    ajuda-nos a compreender as principais diferenças entre as espécies.

Fumaria sepium: não tem chave inversa (pena, porque seria uma das opções mais prováveis).
Fumaria reuteri: (?)Comprimento das flores >= 10mm. (+)Corolas branco-azuladas!? (+)Brácteas florais >= 1/2 do pedicelo. (-)Comprimento dos pedúnculos geralmente menor que o dos cachos.
Fumaria bastardii: (?)Comprimento das flores < 10mm mas > 6mm. (+?)Largura das sépalas < que a corola. (-)Brácteas florais < 1/2 do pedicelo.
Fumaria muralis: (?)Comprimento das flores >= 10mm. (+)Brácteas florais >= 1/2 do pedicelo. (+) Comprimento do pedúnculos geralmente subigual (?) ao dos cachos.
Fumaria agraria: não tem.

Espécie mais provável até agora: Fumaria muralis.

Kommentit

Ei vielä kommentteja.

Lisää kommentti

Kirjaudu sisään tai Rekisteröidy lisätäksesi kommentteja